Faixa publicitária

PostHeaderIcon 1º MAIO 2018 - LUTAR PELOS DIREITOS! VALORIZAR OS TRABALHADORES!

1º MAIO 2018

LUTAR PELOS DIREITOS! VALORIZAR OS TRABALHADORES!

POR MELHORES CONDIÇÕES DE VIDA E DE TRABALHO!

 

Maio desceu a Av. Dr. Lourenço Peixinho até ao largo do Rossio! Correspondendo ao apelo dos Sindicatos e da União dos Sindicatos de Aveiro/CGTP-IN, milhares de trabalhadores vindos de todo o Distrito, concentraram-se hoje, pelas 15 horas, no Largo da Estação da CP em Aveiro, para participarem na manifestação do Dia Internacional do Trabalhador.

 

Durante a manifestação - que foi animada, combativa e com força - decorrente do momento político e social que se vive no país e no distrito, os manifestantes gritaram diversas palavras de ordem designadamente:

  • Maio está na rua a luta continua!;
  • É justo e necessário o aumento do salário!;
  • Precariedade é injusta os jovens estão em luta!;
  • 35 horas - Para todos sem demoras!;
  • Contra a exploração a luta é solução!;
  • Direito à contratação está na constituição!;
  • O público é de todos! Privado é só de alguns!;
  • É preciso investir pró país produzir!;
  • Taxar o capital é urgência nacional!;
  • 40 anos a descontar - Reforma sem penalizar!;
  • Mais salários - Melhores pensões!;
  • Saúde, Educação e Segurança Social - É direito universal!;

 

Já no Largo do Rossio, João Ribeiro, dirigente da Interjovem, lembrou que Portugal mantém um nível muito baixo na qualidade do emprego e nos salários. Que nos últimos anos, mais de 80% dos novos contratos celebrados são precários.

 

Terminou, referindo que o governo do PS tem que ouvir os trabalhadores em particular o que os jovens trabalhadores reclamam e afirmou – Não há volta a dar! A precariedade e os baixos salários são para acabar!

 

Adelino Nunes, Coordenador da União dos Sindicatos, afirmou que foi a luta dos trabalhadores que permitiu a reposição de direitos e rendimentos. É a luta dos trabalhadores que permitirá continuar e aprofundar essa reposição, a melhoria das condições de vida e de trabalho e uma política de Esquerda e Soberana e um Portugal com futuro.

 

Saudou a luta dos trabalhadores que contribuiu para derrotar o governo PSD/CDS, alterar a correlação de forças na Assembleia da República e dar inicio a um processo de reposição de rendimentos e direitos, de aumento dos salários, das pensões e dos apoios sociais e afirmou que, como os últimos dois anos mostram, este é o caminho para assegurar o crescimento económico e o progresso social.

 

Porque a luta é determinante, saudou a luta dos trabalhadores dos sectores público e privado,  de milhares de locais de trabalho, empresas e serviços, que não se conformam com as injustiças e desigualdades e têm lutado para travar medidas negativas e que, em muitos casos, conseguiram resultados positivos nas reivindicações pelos seus direitos laborais e sociais.

 

Terminou, afirmando que não há política de Esquerda com legislação do trabalho de direita, por isso, é tempo de lutar pelos direitos, de Valorizar os Trabalhadores, de aprofundar a reposição e conquista de direitos e rendimentos, a melhoria das condições de vida e de trabalho, por uma Política de Esquerda e Soberana, comprometida com os valores e ideais de Abril e por um Portugal com futuro.

 

No final, foi aprovada uma Resolução, onde os presentes assumiram o compromisso de intensificar a luta reivindicativa nos seus locais de trabalho tendo por objectivos: O aumento dos salários de todos os trabalhadores e a fixação do SMN em 650€, em Janeiro de 2019; A revogação da caducidade e outras normas gravosas da legislação laboral, a reintrodução do princípio do tratamento mais favorável ao trabalhador e a renovação automática das convenções; Pelas 35 horas para todos os trabalhadores; Pelo combate a todas as formas de precariedade; Pelo reforço e melhoria do acesso aos Serviços Públicos e às Funções Sociais do Estado; Pela reposição dos 65 anos como idade legal de reforma e o acesso, sem penalização, após 40 anos de descontos.

 

Decidiram, ainda, participar e contribuir para a organização e mobilização dos trabalhadores e demais camadas da população para uma grande Manifestação Nacional, a realizar no dia 9 de Junho, em Lisboa.

 

DIF/USA/CGTP-IN

Aveiro, 1 de Maio de 2018

 


Actualizado em (Terça, 01 Maio 2018 22:57)