Faixa publicitária

PostHeaderIcon Actividade

PostHeaderIcon convite

Actualizado em (Domingo, 27 Outubro 2013 12:09)

 

PostHeaderIcon Petição

 

Contra o roubo nas pensões e o aumento da idade da reforma

http://www.cgtp.pt/peticao-contra-o-roubo-nas-pensoes-e-o-aumento-da-idade-da-reforma

Actualizado em (Segunda, 18 Novembro 2013 18:23)

 

PostHeaderIcon 68º Aniversário do bombardeamento de Hiroshima e Nagasaki

68º Aniversário do bombardeamento de Hiroshima e Nagasaki:
Um apelo para a abolição de todas as armas nucleares!


Declaração do Conselho Mundial da Paz
1 de Agosto de 2013


Há 68 anos, em 6 e 9 de Agosto de 1945, os Estados Unidos lançaram bombas atómicas sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, matando mais de 200.000 civis inocentes. Os efeitos devastadores deste hediondo acto permanecem até aos dias de hoje. Quase sete décadas depois, o governo dos EUA ainda recusa aceitar a natureza criminosa deste acto e recompensar as suas vítimas.


Este enorme crime contra a humanidade, que até hoje continua por ser castigado, foi justificado pelo governo dos EUA como uma “necessidade militar”, cujo objectivo era “acabar rapidamente” a guerra. Mas hoje é um facto bem conhecido e documentado que esta não foi um acto para responder à “necessidade militar”, mas um acção muito bem calculada para estabelecer a supremacia militar do imperialismo americano sobre o resto do mundo.


A Humanidade continua ameaçada pelo uso de armas de destruição massiva, nomeadamente as armas nucleares. Desde o fim da 2ª Guerra Mundial, o governo dos EUA tem utilizado o seu vasto arsenal nuclear para ameaçar, intimidar e chantagear muitos Estados nucleares ou não nucleares. Estima-se que existem mais de 20.000 ogivas nucleares armazenadas em instalações militares em todo o planeta, com muitos milhares instaladas em bases militares e em frotas aero-navais, prontas a serem utilizadas.


Perante a gravidade e a ameaça dos EUA manterem, na sua doutrina militar, o direito de utilizar as armas nucleares num primeiro ataque contra Estados e “agentes” não nucleares, e face às situações de conflitos armados – nomeadamente no Médio Oriente e África – gerados pelos EUA e outras potências imperialistas ocidentais, geralmente no quadro da NATO e da UE, a sobrevivência de toda a humanidade está cada vez mais ameaçada.


A sobrevivência da Humanidade depende de um mundo livre de todas as armas nucleares e outras armas de destruição massiva. Como medidas necessárias para este fim e recordando os mártires de Hiroshima e Nagasaki, o Conselho Mundial da Paz apela para que:


● Se ponha fim às guerras imperialistas de agressão e seja respeitada a soberania e a integridade territorial de todos os Estados e nações;

● Todos os Estados respeitem os princípios da Carta das Nações Unidas e a Acta Final da Conferência de Helsínquia, o fim da ameaça e o uso da força nas relações internacionais e um compromisso universal para a resolução pacífica de conflitos internacionais;

● Todos os Estados se comprometam à proibição total de ensaios nucleares e ao desenvolvimento de armas nucleares, incluindo a proibição da militarização do
espaço;

● Todos os Estados ponham fim à ameaça do uso de armas nucleares;

● Um compromisso universal para a interdição de todas as armas nucleares e outras de destruição massiva;

● Se promovam as medidas necessárias para garantir a segurança mundial, a desmilitarização das relações internacionais e o desarmamento global e controlado.

Actualizado em (Domingo, 27 Outubro 2013 12:09)

 

PostHeaderIcon Enfermeiros Portugueses em luta!

Nota à Imprensa

Enfermeiros Portugueses em luta!

Os Enfermeiros Portugueses estão em greve nos dias 9 e 10 de Julho: Contra os despedimentos; Contra o aumento do horário de trabalho, com a imposição de trabalho gratuito; E em defesa: Da dignificação da profissão; Da segurança dos utentes dos serviços de saúde; Do Serviço Nacional de Saúde e da melhoria da qualidade dos cuidados de saúde.

Os Enfermeiros do CH Baixo Vouga, em greve, concentraram-se à porta do Hospital Infante D. Pedro, em Aveiro, no dia 9. Às 7h00 do dia 10 de Julho, partiram para a cidade de Lisboa para participar na concentração junto ao Ministério da Saúde.

A Direcção da União reitera que só a dignificação da carreira profissional dos enfermeiros pode dar resposta, em todas as áreas, às reais e cada vez mais acentuadas necessidades das populações. Não é com o roubo de salários e pensões, com a imposição de trabalho gratuito e a retirada de direitos fundamentais dos trabalhadores – verdadeiros retrocessos sociais e civilizacionais – que o acordo das troicas e o governo do PSD/CDS estão a levar ao extremo, que se melhora a qualidade da saúde e se inverte o descalabro económico do país.

Consideramos que a defesa dos direitos dos trabalhadores e a inversão da situação de descalabro económico do país, com o empobrecimento e a marginalização de milhões de portugueses só será possível com a demissão do governo PSD/CDS.

Nesse sentido, a luta dos enfermeiros, em conjunto com a luta de todos os trabalhadores, dará um contributo fundamental para derrotar definitivamente o actual governo e a sua política, contribuindo para a construção da alternativa política, de Esquerda e Soberana.

A Direcção da União dos Sindicatos de Aveiro/CGTP-IN solidariza-se e apoia a luta dos enfermeiros portugueses.

 

DIF/USA/CGTP-IN

Aveiro, 11 de Julho, de 2013

Actualizado em (Segunda, 21 Outubro 2013 18:09)

 

PostHeaderIcon Todos a Belém! Governo Rua!

 

Documento em Formato PDF para distribuição (300Kbytes)

Actualizado em (Segunda, 15 Julho 2013 16:35)

 

PostHeaderIcon Nota à Imprensa n.º 6 Greve Geral 27-06-2013

Greve Geral no distrito de Aveiro

Uma boa resposta!

1-Analisando os dados gerais na sua posse até ao momento a Comissão Executiva da União dos Sindicatos, considera que a adesão à Greve Geral no distrito de Aveiro se confirmou como uma boa resposta dos trabalhadores contra a política de exploração e empobrecimento, pela exigência de mudança de políticas e de governo por via de eleições antecipadas.

 

2- Como se pode verificar na página desta União de Sindicatos, no sector privado, foram muitas as empresas de vários sectores de actividade onde a adesão foi de 100% ou próximo disso.


3- No sector público, foram vários os hospitais que funcionaram apenas com os serviços mínimos, e várias escolas sem actividade lectiva, diversos serviços autárquicos estiveram parados, os transportes da cidade de Aveiro praticamente não funcionaram.

4- Para a Comissão Executiva da União dos Sindicatos de Aveiro, a  adesão à Greve no distrito, confirma a justeza das propostas e reivindicações da CGTP-IN em torno das políticas de emprego, salários, direitos, contratação colectiva, segurança social e serviços públicos.

5-A resposta dos trabalhadores foi boa, e podia ter sido mais significativa, não fosse tão dramática a situação social do distrito, responsável pelo estado de necessidade e dependência de milhares de trabalhadores.

6-O nível de adesão à greve, bem como da participação popular nas Concentrações em Aveiro, São João da Madeira, Ovar, Santa Maria da Feira e Lamas, confirmam a perspectiva da CGTP-IN, de que o governo do PSD/CDS está socialmente e politicamente isolado e que não tem legitimidade para governar.

7- A Comissão Executiva da União dos Sindicatos de Aveiro, saúda todos os activistas e todos os trabalhadores, que independentemente da sua filiação sindical, não se pouparam a esforços para que a greve se salda-se por um êxito assinalável, bem como os trabalhadores e reformados que participaram nas cinco concentrações que se realizaram no distrito, no período da tarde.

8- O esclarecimento e mobilização dos trabalhadores para a luta vai continuar, pela demissão do governo, com a intensificação da acção reivindicativa nos locais de trabalho, pelo alargamento e convergência da luta de massas trabalhadoras e populares, na certeza de que é esse o único caminho capaz de derrotar definitivamente este governo e esta política e construir a alternativa política, de esquerda e soberana, necessária e urgente.

Aveiro, 27 de Junho, de 2013.

DIF/USA/CGTP-IN

Actualizado em (Quinta, 27 Junho 2013 20:51)

 

PostHeaderIcon Nota à Imprensa nº 5 - Greve Geral - 27.06.2013

SECTOR CORTICEIRO

AMORIM REVESTIMENTOS (Oleiros) – Turno das 13.00 horas – 60%.


SECTOR SITE-CN

Renault Cacia S.A. – Turno das 14.00 horas - 68%


SECTOR ADMINISTRAÇÃO LOCAL

Câmara Municipal de Águeda

- Biblioteca Encerrada

- Contabilidade Encerrada

- Atendimento ao Público Encerrado

- Loja do Cidadão Encerrada

- Sector dos Electricistas Encerrado

- Sector dos Canalizadores Encerrado

- Sector dos Armazéns Encerrado

- Jardins de Infância Mourisca Vouga Encerrado

- Jardins de Infância Recardães Encerrados

- Jardins de Infância da Trofa Encerrados

- Geral 45%

Câmara Municipal Vagos

- Sector Operativo 60%

- Dependência Caixa Geral Depósito Encerrada

- Centro Saúde Encerrado

Câmara Municipal de Espinho

- Sector Operativo 80%

SECTOR FUNÇÕES PUBLICAS E SOCIAIS

Hospital Infante D. Pedro

- Serviço Medicina Geral (Morgue) 100% Encerrado

Centro de Saúde de Anadia 70%

Centro de Saúde de Arouca 60%

Centro de Saúde de Ovar 60%

USF – Extensão de Saúde de Ovar 100% Encerrada

Segurança Social – Castelo Paiva 100% Encerrada

Agrupamento de Escolas de Esmoriz 35%

Agrupamento de Escolas de Lourosa 55%

Agrupamento de Escolas Couto Cucujães 65%

Escola EB1 Azurva Encerrada

Jardim Infância Quinta Picado Encerrada

Centro Educativo Verdemilho Encerrado

Centro Social Paroquial do Furadouro Encerrado

Escola EB 1 da Póvoa Encerrada

Escola EB 1 de Cabeçais Encerrada

Escola EB 1 de Cacia Encerrada

Escola EB 1 Quintã do Loureiro – Cacia Encerrada

Escola EB 1 da Torreira Encerrada

Escola EB 1 Pista – Anadia Encerrada

Jardim de Infância de Avelãs do Caminho Encerrada

Jardim de Infância Celeiro – Murtosa Encerrada

Jardim de Infância das Barrocas Encerrada

Jardim de Infância de Esgueira Encerrada

Escola EB 1 Vera Cruz Encerrada

Escola EB 1 Eixo Encerrada

SECTOR ALIMENTAÇÃO DO NORTE

PROVIMI

- Turno das 06.00 às 14.00 – Produção e Cargas – 100%

- Turno das 14.00 às 22.00 – Produção e Cargas – 50%

 
Mais artigos...